Programação




12 de novembro


 

14:00 – 15:30

INCORPORANDO MODELOS INOVADORES DE AGRO-ENERGIA NA PRODUÇÃO E PROCESSAMENTO DE ALIMENTOS

Yemi Akinbamijo | Diretor Executivo do Forum for Agricultural Research in Africa (FARA)
Ananga Messina | Vice-Ministra responsável pelo Desenvolvimento Rural da República do Cameroun
Livio Vanghetti | Vice-presidente Global de Parcerias e Cooperação da Philip Morris International
Mcebisi Skwatsha | Vice-Ministro da Agricultura da África do Sul

MODERADORA:
Wandiswa Ntengento | Consultora Independente de Mídia

Cerca de 30% do uso global de energia pode ser rastreado até o setor de alimentos. Isso inclui a indústria de suprimentos, produção agrícola, processamento, transporte, merchandising e consumo. Como o setor agrícola e alimentício contribui significativamente para o consumo global de energia ao longo de suas cadeias de valor, quais são as práticas comerciais efetivas e as regulamentações governamentais que podem permitir:

  • Plantar as sementes de energia renovável
  • Usando resíduos Agro para reduzir o consumo de energia
  • Ferramentas de eficiência energética e armazenamento para aumentar o rendimento dos agricultores

TÓPICOS: Processamento, distribuição, energia, desenvolvimento rural

Plenária

Hora Evento Local
09:00 – 10:00 Credenciamento & Networking Lounge
10:00 – 10:30

SESSÃO DE ABERTURA

Hamilton Mourão | Vice-Presidente do Brasil
Prof. João Bosco Monte | Presidente do Instituto Brasil África

Plenária
10:30 – 12:00

ALIMENTANDO O MUNDO: UM CHAMADO PARA AÇÃO

George Buahen Oduro | Vice-Ministro da Alimentação e Agricultura da República de Gana
Hamady Diop | Chefe de Cooperação Técnica e Serviços de Consultoria da Agência de Desenvolvimento da União Africana AUDA-NEPAD
Demétrio Carvalho | Diretor Adjunto da Agência Brasileira de Cooperação (ABC)
Daniel Balaban | Diretor do Centro de Excelência contra a Fome do Programa Mundial de Alimentos
Marcos Brandalise | Fundador e CEO do Brazafric Group of Companies (BGC)

MODERADORA:
Caroline Ribeiro | Chefe de Comunicação do Fórum Brasil África

Até 2050, será necessário um aumento de mais de 50% dos alimentos atualmente produzidos para alimentar uma população mundial estimada de quase 10 bilhões. Ao mesmo tempo, quase 80% dos pobres do mundo vivem em áreas rurais e trabalham principalmente na agricultura. Como podemos usar o desafio de alimentar o mundo a zero pobreza?

  • Do campo à mesa: investindo em uma boa infraestrutura
  • Tornar os alimentos acessíveis, nutritivos e saudáveis para todos
  • Aumentar o número de empregos na agricultura e melhorar as condições de trabalho

TÓPICOS: Pobreza, nutrição, treinamento, condições de trabalho

12:00 – 13:00

PESQUISA E INOVAÇÃO AGRÍCOLA PARA ÁFRICA (ARIFA)

Side event organizado pelo FARA

No contexto do SSTC, o Brasil oferece uma infinidade de tecnologias agrícolas econômicas e escaláveis (na fazenda e ao longo da cadeia de valor) para países africanos com condições agroecológicas e socioeconômicas semelhantes. Assim, o cenário brasileiro de AR4D e agronegócio é um ponto de vantagem para capacitar os bolsistas da ARIFA com conhecimento sobre técnicas e procedimentos que podem ser replicados, adaptados e dimensionados em seus países de origem. Com a crescente parceria entre a FARA e as instituições brasileiras, como exemplificado pela proposta de hospedagem de 180 bolsistas da ARIFA na UFV em 2019, o AR4D africano testemunhará uma interação mais forte e mais visível com impactos positivos e transformadores à medida que o AfCFTA for implementado. O Fórum Brasil África 2019 representa uma oportunidade única para lançar a parceria FARA-UFV na ARIFA e impulsionar ações relevantes para transferência de conhecimento, parceria e networking.

Leia a Nota Conceitual

Sala São Paulo
12:00 – 13:00

DESAFIOS PARA O APROFUNDAMENTO DA COOPERAÇÃO ENTRE O BRASIL E OS PAÍSES AFRICANOS

Side event organizado pelo IPEA

 

Moderador: Ivan Oliveira, Diretor de Estudos Internacionais do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (IPEA). Painelistas: Rodrigo d´Araujo Gabsch, Diretor do Departamento de África do Itamaraty; Felipe Goulart, Assessor do Secretário de Negociações Bilaterais para Oriente Médio, Europa e África do Ministério das Relações Exteriores do Brasil; Henrique de Azevedo Avila, Superintendência da Área de Indústria, Serviços e Comércio Exterior do BNDES; Fernanda Peixoto, tenente-coronel da Escola Superior de Guerra (ESG/MD).

Sala São Paulo
13:00 – 14:00 Almoço Lounge
15:30 – 15:45 Coffee Break
Oferecido por Aldairton Carvalho Sociedade de Advogados
Lounge
15:45 – 16:00

APROFUNDANDO PARCERIAS ECONÔMICAS ENTRE O BRASIL E A ÁFRICA: VISÃO GERAL E PAPEL DO AFREXIMBANK

Discurso Especial do Afreximbank

Plenary
16:00 – 17:30

AGRICULTURA 4.0 – CULTIVANDO A REVOLUÇÃO VERDE

Alysson Paolinelli | Embaixador da Boa Vontade do Instituto Interamericano de Cooperação para a Agricultura (IICA)
Ulrich Sabel-Koschella | Chefe das Cadeias de Valor da Agricultura da GIZ
Tang Shengyao | Diretor do Escritório de Cooperação Sul-Sul e Triangular da FAO
Jessie de Boer | Co-Fundadora da L.E.A.F. Africa
Paolo Silveri | Economista regional líder na região da América Latina e Caribe do FIDA
Miguel Azevedo | Chefe do Banco de Investimentos Oriente Médio e África (ex AS) do Citigroup

MODERADORA:
Isabel Rosa | Jornalista do RTP Africa

Tecnologias disruptivas da Quarta Revolução Industrial já estão afetando a agricultura. Desde o uso de tecnologias blockchain para rastreabilidade de proteína animal até a aplicação de drones para mapear e semear a terra, essas tecnologias podem aumentar a produtividade do campo e dos agricultores, bem como fornecer produtos mais seguros e frescos para o consumidor final. Esta sessão tem como objetivo mapear como a nova tecnologia pode exponenciar a produção agrícola e discutir prontidão, oportunidades e desafios. Na mesa:

  • A relação simbiótica entre digital, hardware e biotecnologia
  • Requalificação e melhora das necessidades para implantação para a Agricultura 4.0
  • Benefícios centrados no ser humano

TÓPICOS: Revolução verde, agricultura 4.0, tecnologia, transformação, inovação, treinamento

Plenária
19:00 – 20:00 Coquetel Lounge

13 de novembro


 

Hora Evento Local
09:00 – 10:30

DEMOCRATIZAÇÃO DO AGRONEGÓCIO: PREENCHENDO O POTENCIAL ENTRE AS DUAS REGIÕES

Fayçal Benameur| Vice-presidente sênior para a África Oriental do Grupo OCP
Natalia Dias | CEO do Standard Bank
Marcela Brant | Diretora Comercial e Produtos do Banco de Desenvolvimento de Minas Gerais (BDMG)
Fadel Ndiame | Vice-Presidente Interino de Política e Capacidade Estatal da AGRA
Luiz Esteves | Economista-Chefe do Banco do Nordeste do Brasil (BNB)

MODERADOR:
Caroline Ribeiro | Chefe de Comunicação do Fórum Brasil África

O acesso ao financiamento tem sido uma questão recorrente para as diferentes partes interessadas em toda a cadeia agrícola. Discutindo desde o pequeno agricultor até as perspectivas dos processadores de alimentos, esta sessão tem como objetivo apontar alguns dos mecanismos tradicionais e inovadores de agrofinanças disponíveis, bem como debater as lacunas subjacentes. Os principais pontos desta discussão são:

  • Mitigação de riscos que adequam as estruturas de seguro financeiro
  • Utilização de finanças verdes para aumentar os rendimentos
  • Combinação de recursos públicos e privados para aumentar o acesso ao financiamento

TÓPICOS: Financiamento, cooperação

Plenária
09:00 – 10:30

COOPERAÇÃO BRASIL-ALEMANHA PARA A ÁFRICA: CAJU E ALÉM

Workshop organizado pela GIZ

Há uma longa história de colaboração entre Brasil e África, em particular na Agricultura (Embrapa / ABC / Países Africanos), além de uma história igualmente rica de colaboração entre a Alemanha e a África na agricultura e nas cadeias de valor. Alemanha e Brasil estão trabalhando juntos em Gana para fortalecer o setor de caju no país. Nesse projeto em particular, a razão pela qual o Brasil/Embrapa foi escolhido é bastante evidente: o caju tem sua origem no nordeste do Brasil, o Brasil é uma vitrine para o desenvolvimento desse setor em escala industrial, possui ampla experiência no pedúnculo e nos subprodutos de caju e na agricutlura profisisonal e de tamanho médio. A Alemanha tem uma longa história de apoio à estruturação de cadeias de valor alimentar na África, com a inclusão do setor privado como parte essencial dos projetos. Gana tem um setor emergente de caju muito promissor, com forte foco na pesquisa e na ambição de desenvolver o setor para criar mais receitas para todos os atores da cadeia de valor e para o país como um todo. A junção da experiência desses três países é o que será demonstrado neste painel.

Leia a Nota Conceitual

Sala São Paulo
10:30 – 10:45 Coffee Break Lounge
10:45 – 12:00

NUTRINDO UM CENÁRIO DE COMÉRCIO INTERNACIONAL DE AGRICULTURA PRODUTIVA

Hippolyte Fofack | Economista-chefe/Diretor de Pesquisa e Cooperação Iinternacional do Afreximbank
Tamer Mansour | Secretário Geral da Câmara de Comércio Árabe-Brasileira
Luana Ozemela | Fundadora e CEO do Development Impact Managers and Advisors (DIMA)
Igor Lucena | Research Economist do Instituto Brasil África
Fernanda Leite | Gestora no International Trade Center (ITC)

MODERADOR:
Omar Ben Yedder | Editor do Grupo e Diretor Administrativo da IC Publications

De 2004 a 2014, as exportações brasileiras para países africanos aumentaram 131%, sendo açúcar, carne bovina, aves e cereais os destaques desses fluxos. O comércio de agricultura entre as duas regiões tem o potencial de liberar oportunidades valiosas para outros setores econômicos e apoiar o crescimento. Como podemos moldar um atraente cenário de comércio e investimento que permita às empresas explorar plenamente essas complementaridades? Na mesa:

  • Desafios e oportunidades para relações comerciais e de investimento mais profundas nos dois lados do Atlântico (frameworks multilaterais e bilaterais)
  • Aumento o fluxo de agritech, agroindústria e agroserviços
  • Dominando as relações econômicas de longo prazo e o papel do setor privado e da sociedade civil.

TÓPICOS: Comércio, investimento

Plenária
12:00 – 13:00

O PODER DA COOPERAÇÃO SUL-SUL E TRIANGULAR EM GARANTIR A SEGURANÇA ALIMENTAR SUSTENTÁVEL

Side event organizado pelo FIDA

O side event será uma oportunidade para o FIDA e outras organizações mostrarem experiências e melhores práticas no fornecimento de cooperação na agricultura e no desenvolvimento rural, para melhorar a segurança alimentar através de melhores práticas de colheitas, maior produtividade agrícola, técnicas aprimoradas de irrigação, etc. O evento também ajudará a destacar a importância da cooperação na agricultura proveniente de países de renda média em benefício dos países menos desenvolvidos. Como o público do Fórum não inclui apenas especialistas em agricultura, o evento será uma oportunidade de destacar a importância da agricultura na promoção da segurança alimentar para alcançar o desenvolvimento econômico, que é o tema principal do Fórum Brasil-África deste ano.

Leia a Nota Conceitual

Plenária
12:00 – 13:00

AGRO B – TRANSFORMANDO OS MEIOS DE SUBSISTÊNCIA DA FAMÍLIA E A AGRICULTURA NA ÁFRICA: “ESTAMOS MECANIZANDO A AGRICULTURA NA ÁFRICA DE UMA MANEIRA VERDADEIRAMENTE SUSTENTÁVEL”

Side event organizado pela BRAZAFRIC

O Grupo Brazafric (BGC) concentra-se no fornecimento de equipamentos de pré e pós-colheita para o setor de agronegócio africano. Fundada no Quênia em 1996, a empresa agora possui 4 escritórios principais e 3 parcerias estratégicas em sete países da África Oriental. Consulte www.brazafricenterprises.com

Com a capacidade de atender a qualquer tamanho agricultor, processador agrícola, importador e exportador de produtos agrícolas, a BGC adquiriu imensa experiência e know-how sobre os numerosos desafios e oportunidades que os setores agrícola e pecuário desempenham no cenário africano.

Priorizando abordagens defendidas pela conservação e agricultura regenerativa – veja LEAF Africa (www.leaf-africa.com) -, o BGC se tornou um ponto de referência para várias cadeias de valor-chave, incluindo, mas não se limitando a; café, arroz e uma mistura de grãos básicos. Com o conhecimento acumulado da equipe e as associações de rede, a BGC está atualmente expandindo sua visão por meio de uma plataforma de agronegócio integrada ‘African-First’, a AGROB.

O AGROB prevê alcançar a cobertura continental dentro de 10 anos, sob o mandato de abordar as deficiências mais importantes que o setor de agronegócios da África enfrenta.

O AGROB pretende ser um parceiro único, fornecendo uma interface eficiente entre investidores / recursos e execução / ação. Através do fornecimento de uma plataforma de serviço integrada, podemos enfrentar desafios de qualquer escala; complexidade; proximidade com os usuários finais; treinando agricultores, além de trazer soluções sólidas e eficientes de todos os cantos do mundo. Nossa visão dominante serve para encurtar o período de tempo que a África leva para enfrentar sua auto-suficiência em produção e segurança alimentar no continente e além.

Com 8 cursos de ação e fluxos de receita trabalhando sob o mesmo teto, incluindo o fornecimento de todos os requisitos do agronegócio, procuramos pessoas com o mesmo espírito para investir nesta prestigiada e única oportunidade de negócio.

Fale conosco: marcos.b@brazafricgroup.com

 

Plenária
13:00 – 14:00 Almoço Lounge
14:00 – 15:30

REPENSANDO O USO DA ÁGUA PARA UMA PROSPERIDADE MELHORADA

José Graziano | Ex-Diretor Geral da FAO
Alhaji Sabo Nanono | Ministro da Agricultura e Desenvolvimento Rural (FMARD) da Nigéria
Roberto Barcelos | Presidente da Abrafrutas
Cezar Rizzi | Coordenador de Projetos Internacionais na CAMPO

MODERADOR:
Naief Haddad | Editor e Repórter da Folha de São Paulo

O uso da água na agricultura é crucial para a segurança alimentar: o setor responde por 70% de todas as retiradas de água no mundo. Devido ao crescimento populacional, à urbanização, à industrialização e às mudanças climáticas, espera-se que a competição por recursos hídricos aumente, com particular pressão sobre a agricultura. Mudanças significativas nas alocações inter-setoriais da água serão necessárias para apoiar o crescimento econômico contínuo. Como podemos assegurar a água doce para fazer a transição para essa nova realidade e apoiar o crescimento econômico contínuo? Na mesa:

  • Simples ou de alta tecnologia, explorando a adaptabilidade das soluções de água para diferentes realidades
  • Políticas de adaptação e práticas de negócios sobre o melhor uso da água
  • Transformando realidades através da facilitação do acesso à água

TÓPICOS: Água, inovação, tecnologia

Plenária
15:30 – 16:00

Cerimônia de Encerramento

Plenária